UFOVIA - ANO 5 

   Via Fanzine   

 

 

 Entrevista exclusiva

 

 

Entrevista com Cybele Fiorotti

Escritora e autora da trilogia

“Senhores dos Céus”

 

 Por Pepe Chaves*

Para VF/UFOVIA

23/04/2018

 

Cybele Fiorotti, autora de "Senhores dos Céus",

obra de ficção com pitadas de fatos reais.

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

MAIS UFOVIA

 

Cybele Fiorotti nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Mudou-se para São Paulo onde mora até hoje. Formada em Comunicação Social, atua como Assessora e Consultora em Comunicação e Negócio. Realiza trabalhos em diversas mídias - revista, jornal, tevê, rádio e mídia digital - gerando conteúdo para publicação. Administra os blogs "Aroma Essencial" sobre Marketing Olfativo/Identidade Olfativa, e "Experiência Compartilhada" sobre Educação Holística e Educação Espacial. Recebeu o prêmio "Baleia Azul" pelo projeto "Mãe Terra" junto ao meio ambiente. Nessa entrevista, a autora nos fala especialmente do enredo e do tema abordados em sua trilogia "Senhores dos Céus", sua primeira experiência literária na área da ficção, à venda pela Amazon.

 

Via Fanzine – Por favor, nos fale um pouco sobre a trilogia “Senhores dos Céus” e seu conteúdo.

Cybele Fiorotti – Pepe, esta é uma ideia pensada por muito tempo antes de passar para e-book e, recentemente, impresso - basicamente foram 16 anos antes de ser publicado. Os outros vieram em sequência e muito rápido. Brinco muito dizendo que foi escrito em velocidade de dobra. É uma ficção baseada em fatos reais, mas sem a intenção de impor a narrativa. Traça a trajetória de um grupo que busca o contato descrevendo sua relação com outras civilizações, suas tecnologias e as razões desta troca de experiência.

 

Via Fanzine – O que a motivou a escrever esta obra?

Cybele Fiorotti – Já havíamos pesquisado vários casos em diversas localidades, quando fomos convidados – na época tínhamos o grupo de pesquisa -  para acompanhar os acontecimentos anômalos em uma cidade na Paraíba, onde o nível de fenômenos que se apresentou foi inquestionável. Toda a população de moradores do cerrado, no centro urbano, aos políticos e clero local, chegaram a ter algum tipo de avistamento, e outros encontros físicos com estes seres. A partir daí, em uma dessas noites a necessidade de repassar aquela experiência nasceu. 

 

Via Fanzine – Por favor, nos explique sobre Verna.

Cybele Fiorotti – Ela é a personagem que conta a história de Irenia, através do grupo de amigos que também passam a viver as experiências.

 

Via Fanzine – Quem é Irenia?

Cybele Fiorotti – É a personagem que conta a experiência do grupo original que faz o contato com outras culturas não humanas para Verna. Isto acaba reunindo todos, o grupo de Irenia e o de Verna que estava em formação, nesta jornada de contato.

 

Via Fanzine – Apesar de se tratar de uma ficção, o conteúdo traz alguns fatos baseados na realidade. O que a você pode nos dizer sobre isso?

Cybele Fiorotti –  Como disse, é uma ficção baseada em fatos reais. A totalidade dos contatados são pessoas que querem manter suas vidas no anonimato, respeitei isto. Normalmente, quem é contatado não faz alarde do fato, a não ser que se torne público à revelia da pessoa. Por não ser um assunto do dia a dia da maioria das pessoas, isto gera desde conflito familiar podendo chegar a traumas emocionais. Nem todos os ciclos se fecham.

 

Via Fanzine – De acordo com o enredo, um grupo mantém contatos com criaturas interestelares. Quais são os objetivos deste grupo?

Cybele Fiorotti – Neste caso, começou como curiosidade. Afinal, é instigante a possibilidade de um contato com outras culturas não terrestres. Mas, durante a jornada descobrem muito mais do que uma simples curiosidade. As pessoas que saem da zona de conforto em qualquer tipo de experiência são aquelas persistentes, que buscam as respostas e não se contentam com explicações rasas. A humanidade deu um grande salto nos últimos 100 anos, isto se deve a pessoas que não entregaram os pontos, mesmo diante das adversidades, dos medos que nos assolam quando lidamos com o que nos é desconhecido. Acredito que este é o perfil do grupo, pessoas que não pararam nos achismos e foram longe na busca de respostas.

 

Via Fanzine – E para você, quais são estas respostas e em que poderiam implicar?

Cybele Fiorotti – A definição de resiliência cabe neste contexto, pois é um processo no qual você é obrigado a rever tudo que aprendeu sobre o planeta e o cosmo, sobre a vida em toda a sua extensão, sobre a história humana e sua jornada. Você deve ir até o limite de tudo que assimilou e voltar à forma original trazendo toda esta carga, sem perder a lógica, dissolvendo as amarras que nos mantiveram presos a questões que não contestávamos. O aspecto emocional conta muito nesta hora, pois nosso amadurecimento, nossa capacidade de sair da zona de conforto, absorver novos conhecimentos, aceitar o que não conhecemos, tudo nos faz dar um salto quântico significativo.

 

Via Fanzine – Ainda de acordo com o enredo, o que era falado durante esses contatos com as criaturas não humanas?

Cybele Fiorotti – Este é um processo interessante. Tudo depende da visão de vida, cultura e tradições de quem chega ao contato direto. A linguagem pode ser interpretada de acordo com a forma como o contato recebe esta troca de informação. Não encontrei ninguém com mensagens messiânicas, ou premonitório. A troca é uma via de mão dupla, os dois lados trocam e aprendem. É interessante. Esta foi a visão que busquei transmitir.

 

Via Fanzine – De onde são e quais são os interesses dessas criaturas sobre o grupo de pessoas com o qual mantêm contatos e, consequentemente, como veem a vida em nosso planeta?

Cybele Fiorotti – Neste caso, buscar pessoas interessadas em interagir de uma forma mais consciente com o contato, sem transformá-lo em uma forma de controle, ou submissão. Pessoas comuns que mudem seu entorno de alguma maneira e isto reflita no todo. Apesar de tudo o que vem acontecendo no planeta parece que a intenção de integra-lo e à civilização humana a outras culturas ainda é vista com possibilidade. Vamos ver onde chegamos com tudo isso. Quanto à origem destes estrangeiros o livro traz algumas referências.

 

A trilogia "Senhores dos Céus", de Cybele Fiorotti.

 

Via Fanzine – O que você poderia dizer sobre este grupo e sua relação com seres de um outro mundo?

Cybele Fiorotti – Troca de conhecimento. Esta interação é feita há milênios no planeta, mas em algum ponto da caminhada esta relação é distorcida no propósito passando a ser uma forma de controlar pessoas, seja través de teorias, ou expectativa no futuro. A história está repleta de exemplos. Neste caso, mostrar que é possível esta troca sem criar mitos ou deuses é um ponto importante, tão pouco subjugar ou criar dependência de pessoas em relação ao fato.

 

Via Fanzine – Tecnológica, espiritual e intelectualmente falando, em que estas criaturas espaciais se diferem dos seres humanos?

Cybele Fiorotti – Nesta narrativa temos seres com alto conhecimento tecnológico, mas sem nenhum propósito em relação aos humanos; outros que chegam com mais consciência sabendo pelo longo histórico de observação que o ser humano é complexo, e que ainda não somos uma humanidade, mas diversas raças convivendo em um mesmo planeta. Acho que nos subestimamos, somos muito mais do que nossos sistemas querem que acreditemos. Precisamos acordar para esta realidade. Dar uma definição para outras raças que mal conhecemos é incorrer no mesmo erro, é subestimar o que não sabemos.

 

Via Fanzine – Quais são os valores e principais questões assimiladas pelo grupo após tais contatos e em que isso vem impactar em suas respectivas vidas?

Cybele Fiorotti – O forte vínculo de amizade, confiança e respeito que criam entre si. Sem isto não teriam conseguido ir em frente.

 

Via Fanzine – Estes seres do espaço também podem se passar e serem confundidos com humanos, inclusive, se relacionando com estes. Qual é a intenção deles ao se passarem por seres humanos?

Cybele Fiorotti – Não passam por humanos, pelo que entendemos o biótipo humano é vasto no Universo. Não somos os únicos. O que diferencia é o aspecto biológico dependendo do ambiente de onde se originam -  seja de fora do planeta, ou intraterrenos (em terra ou mar).  Mas, também existem aqueles cujo biótipo não é humano- humanoides.

 

Via Fanzine – E como seriam estes?

Cybele Fiorotti Compleição física diferente, olhos, pele, traços faciais, altura, mesmo que alguns apresentem dorso, braços e pernas  com o biótipo humano.

 

Via Fanzine – Particularmente, você acredita que o contato entre seres humanos e outras criaturas cósmica possa estar mesmo em curso?

Cybele Fiorotti – Não tenho dúvidas sobre isso.

 

Via Fanzine – Em termos práticos, o que esta obra pode vir a somar ao leitor, acerca do conhecimento sobre o cosmos, a vida fora da terra e as perspectivas futuras do homem?

Cybele Fiorotti – Pepe, não tenho pretensão de mostrar um modelo pronto, ou dizer que isto é assim ou assado. Cada um terá a oportunidade de ler como uma ficção e se divertir com as peripécias do grupo; talvez alguns se vejam em situações similares pelas quais passaram. A intenção principal é mostrar que manter a mente aberta para o que a vida nos reserva, e não ter receio de sair da zona de conforto, é o melhor caminho.

 

Via Fanzine – Um quarto livro já está sendo encaminhado sob a mesma temática?

Cybele Fiorotti – Ainda não posso adiantar nada, mas as pesquisas estão avançando.

 

Via Fanzine – Agradecemos muitíssimo pela entrevista e pedimos para nos deixar suas considerações finais.

Cybele Fiorotti – É minha primeira experiência na área de literatura. Fiquei feliz com o resultado, e espero que os leitores também. Tenho recebido feedback na página do autor na Amazon, ou por e-mail, que me emocionam. Portanto, acredito que a história toca de alguma maneira as pessoas. Acredito que estamos caminhando muito rápido em todas as áreas da vida humana, mas não podemos perder nossa Humanidade. Acredito que este seja o nosso maior desafio, pois se queremos buscar novos mundos precisamos nos respeitar, para respeitar o que nem sabemos que existe dentro e fora do planeta. Obrigado pela oportunidade de conversar com seus leitores.

 

* Pepe Chaves é editor do diário digital Via Fanzine e da ZINESFERA.

 

- Imagens: Divulgação.

 

- Extras:

Clique aqui para aquisição do livro na Amazon

 

Blog: Senhores dos Céus

 

Twitter: https://twitter.com/SenhoresC

 

Canal Youtube

 

- Visite a página de Cybele Fiorotti em Via Fanzine

 

- Mais informações: zericks@terra.com.br

 

- Produção: Pepe Chaves

© Copyright 2004-2018, Pepe Arte Viva Ltda. Brasil.

 

Leia também:

Outros destaques em Via Fanzine

 

MAIS UFOVIA

 

 

 

  UFOVIA - ANO 5 

   Via Fanzine   

 

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter