AEROVIA ARQUEOLOVIA ASTROVIA DORNAS DIGITAL ITAÚNA FANZINE J.A. FONSECA UFOVIA VIA FANZINE

          

 

Marco Prado

 

 

 

 

 

 

 

Marco Antonio Prado é professor de Artes e Artesanato. Estilista, figurinista e  cenógrafo, desenvolve trabalhos para companhias de balé e escolas de dança, em várias cidades do país. Formado em Educação Física, pós-graduado em Treinamento Esportivo e Gestão, trabalhou em diversas escolas públicas e projetos sociais, em Itaúna, Pará de Minas, Divinópolis e região. Também é ilustrador e possui significativos trabalhos  publicados,  principalmente em literatura infantil.

 

 

 

 

XIII UNIDANCE – 2018:

Concurso Nacional de Dança em Itaúna

Evento contou com a participação de 44 grupos e companhias de dança de 20 cidades, totalizando 760 bailarinos dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

12/09/2018

 

O grande Teatro da Universidade de Itaúna foi palco de grandes espetáculos.

 

Nos dias 7, 8 e 9 de Setembro de 2018, Itaúna se transformou em um grande palco de dança, onde foram expressados os mais diferentes e sublimes movimentos de dança.

 

Com a participação de 44 grupos e companhias de dança de 20 cidades, totalizando 760 bailarinos dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás, foram apresentadas coreografias em estilo livre, dança moderna, contemporâneo, dança do ventre, street dance e danças urbanas, jazz, clássico, clássico livre e clássico de repertório.

 

Unidance 2018 apresentou uma banca de jurados com oito integrantes.

 

As apresentações aconteceram no grande Teatro da Universidade de Itaúna, durante todos os dias e se estendiam pelas noites.

 

Fizeram parte do corpo de jurados, os coreógrafos, professores e bailarinos, de renome internacional: Tíndaro Silvano, Cristiano Reis, Alan Keller, Adriana Villela, Eliane Fetzer, Eurico Justino, Daniela Silva e Leandro Belilo; que também, durante o evento, ministraram workshops; que aconteceram nos espaços do Centro de Dança Zélia de Paula Machado.

 

Grupo de dança do ventre. Divinópolis-MG.

 

O UNIDANCE, que sempre se realizou na cidade de Divinópolis-  MG, teve esta edição, pela primeira vez realizada em Itaúna, através do empenho da professora e coreógrafa Heloísa Machado Corradi, que trouxe o evento para nossa cidade, conseguindo apoio da Universidade de Itaúna e da Secretaria de Cultura, da Prefeitura Municipal.  

 

Jazz. Rose Ballet - Divinópolis-MG.

 

O UNIDANCE teve sua primeira edição na cidade de Divinópolis , há 20 anos; idealizado pelas professoras de balé Cristiane Carvalho Moreira, Milena Amaral e Miriam Lopes. Nos primeiros anos, apenas como um encontro entre as escolas de dança da cidade, e que, com o passar do tempo conseguiu uma maior projeção entre cidades da região, e hoje faz parte do calendário dos grandes eventos de dança do país .

 

Coreografia de dança contemporânea. Escravidão. Centro de Dança Zélia de Paula Machado.

 

O Centro de Dança Zélia de Paula Machado, se destacou, como sempre acontece em todas as competições que participa, pela qualidade das coreografias apresentadas, com alto nível técnico e artístico, recebendo 17 premiações, sendo 7 primeiros lugares.

 

Isabela Bernardes com sua alunas. Coreografia: Amigas de Clara.

 

O resultado do XIII UNIDANCE foi muito positivo, segundo os organizadores, tanto no aspecto da difusão da dança e crescimento profissional dos bailarinos, quanto no setor econômico e cultural da cidade, uma vez que Itaúna recebe, em um evento dessa magnitude, um número muito significativo de turistas. Além dos bailarinos e coreógrafos, diversos profissionais estão envolvidos, como fotógrafos, cinegrafistas, motoristas dos diversos ônibus e vans, familiares e acompanhantes, que movimentam o empreendimento turístico; assim como o evento também projeta o nome de Itaúna no cenário artístico e cultural do país.

 

Balé Zélia de Paula Machado. Coreografia Eis que Surgem os Pterodáctilos, de Guilherme Lopes. Figurino: Marco Prado.

 

Balé Zélia de Paula Machado. Coreografia Operários, de Guilherme Lopes.

Figurino Marco Prado.

 

Balé Zélia de Paula Machado. Coreografia Fadas.

Figurino Marco Prado.

 

Balé Zélia de Paula Machado. Coreografia A Última Ceia, de Heloísa Machado Corradi.

Figurino Marco Prado.

 

Núcleo Artístico Barack. Coreografia A Criação do Mundo, de Bruna Vaz.

Figurinos: Marco Prado.

 

 

Um dos espaços para ensaios e preparação para as apresentações.

 

Workshop de dança Contemporânea com Alan Keller.

 

Workshop de Dança Contemporânea, com o professor e coreógrafo Cristiano Reis.

 

O Unidance 2018 foi um grande evento que reuniu quase mil profissionais, de diversas categorias.

 

- Fotos: Página do Unidance, Aninha Elyseu e Marco Prado/divulgação.

 

*  *  *

 

Nova Lima-MG:

Brilhantismo e prêmios em encontro de dança

Centro de Dança Zélia De Paula Machado participa

do XII Encontro de Dança de Nova Lima - CBDD.

 

Por Marco Prado

De Nova Lima-MG

25/08/2018

 

Equipe Zélia Paula Machado em Nova Lima.

 

A Prefeitura Municipal de Nova Lima e o Conselho Brasileiro de Dança, realizaram, numa grande produção, nos dias 18 e 19 de agosto de 2018, o XII ENCONTRO DE DANÇA DE NOVA LIMA, que contou com centenas de participantes, incluindo escolas de dança, profissionais e um corpo de jurados de renome internacional.

 

As apresentações aconteceram no Teatro Municipal de Nova Lima. As categorias que concorreram às premiações foram:

 

- Variação de Repertório;

- Clássico;

-  Clássico Livre;

- Clássico de Repertório;

- Contemporâneo;

- Moderno;

- Estilo Livre.

 

Teatro Municipal de Nova Lima.

 

O evento também contou com apresentações em grupos, solos, duos e trios, juvenil, sênior e adulto.

 

O Centro Cultural de Dança Zélia de Paula Machado, de Itaúna-MG, se destacou, recebendo troféus de primeiro e segundos lugares, em todas as coreografias apresentadas, nas categorias Clássico e Contemporâneo, em grupos e solo.

 

Igreja de Nossa Senhora do Pilar.

Com obras do mestre Aleijadinho. Nova Lima-MG.

 

A diretora e coreógrafa Heloísa Machado Corradi conduziu, com muito esmero, toda a coordenação dos trabalhos, ensaios e preparação técnica até o momento das apresentações, com especial cuidado ao condicionamento físico, técnico e psicológico dos bailarinos. Fator fundamental para o bom desempenho, uma vez que se trata de apresentações de competição.

 

Coreografia premiada na categoria Clássico Grupo. De Heloísa Machado Corradi.

 

Coreografia premiada em Primeiro Lugar, categoria Moderno/Contemporâneo.

Jogadores de Cartas. Paul Cezanne. Coreografia de Guilherme Lopes.

 

O bailarino e coreógrafo Guilherme Lopes, professor de dança contemporânea e balé clássico no Centro de Dança Zélia de Paula Machado, também obteve duas premiações: primeiro e segundo lugares, na categoria Moderno/Contemporâneo.

 

Categoria Clássico. Sala de Aula. De Heloísa Machado Corradi.

 

O Centro de Dança Zélia de Paula Machado está completando este ano, 40 anos de atividades. Participa sempre de diversas competições, no Estado e em todo o território nacional, e possui inúmeras premiações de nível nacional e internacional.

 

Parabéns aos bailarinos, professores, à diretora Heloísa Machado Corradi e ao Centro Cultural de Dança Zélia de Paula Machado, que há 40 anos, através de Arte e beleza, vem projetando Itaúna no cenário  nacional.

 

Coreografia premiada A Última Ceia. Categoria Contemporâneo. De Heloísa Machado Corradi.

 

A Última Ceia.

 

Guilherme Lopes. Coreografia premiada Categoria Moderno/Contemporâneo.

 

Isabela Bernardes. Categoria Clássico Livre. Coreografia Centáurea.

 

 

Camarins e preparativos para as apresentações.

 

Heloisa Corradi e Guilherme Lopes, no momento das premiações.

 

- Fotos: Arquivo pessoal de Marco Antonio Prado.

 

*  *  *

 

Atividades lúdicas:

Muita Arte na Praça

Levando Cultura e Educação aos Espaços Públicos.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

15/08/2018

 

Oficina de Pintura Facial com o professor Marco Antônio Prado.

 

A Secretaria do Estado de Cultura de Minas Gerais e a Associação Cultural Usina de Sonhos realizaram no último dia 21 de Julho, pelo terceiro ano consecutivo, mais uma edição do Projeto Muita Arte na Praça, com apresentações de Balé Clássico, Coral Infanto-Juvenil, Orquestra de Violinos, apresentação de teclado e exposição peças de marchetaria.

 

O evento aconteceu na Praça Matriz de Sant’Ana, contou com a presença da Academia Itaunense de Letras, que promoveu vasta distribuição de livros infantis.

 

Aconteceram simultaneamente, oficinas de arte visuais, artesanatos e pintura facial.

 

O projeto tem por objetivo divulgar e levar cultura à população, através de atividades artísticas, despertando a ideia de que a cultura é um dos principais elementos que nutre todo o processo social e que tem um papel de vital importância na formação de um cidadão crítico com uma melhor compreensão de si e do meio em que vive.

 

Exposição de trabalhos em Marchetaria do professor e artesão Wagner Andrade.

 

O Muita Arte na Praça, faz parte de um programa de extensão da Associação Cultural Usina de Sonhos, idealizado pela coordenadora e gestora cultural Bel de Abreu. Fizeram parte deste evento, os professores João César Santana, músico e professor de violino; a maestrina e professora de canto Juliana Lima; a coreógrafa e professora de balé clássico Luciana De Marco; Wagner Andrade, artesão e professor de marchetaria; o músico e o professor de teclado Guilherme Guimarães; os professores de Artes Visuais e artistas Levy Vargas e Jerusa Guimarães; Alessandra Magalhães e Marco Antônio Prado.

 

Oficina de artes visuais com a artista e professora Jerusa Guimarães e o artista plástico e professor Levy Vargas.

 

Oficina de Artesanato ministrada pela professora Alessandra Magalhães.

 

Apresentação de balé com a turma da professora e coreógrafa Luciana De Marco.

 

 

 

 

 

No alto, as alunas da professora e coreógrafa Luciana De Marco. Abaixo: orquestra de violinos sob a direção do músico e professor João César Santana. Coral infanto-juvenil com a musicista e professora Juliana Lima. A gestora e idealizadora do projeto Bel de Abreu, entre membros da Academia Itaunense de Letras.

 

- Fotos: Divulgação e arquivo pessoal de Marco Antonio Prado.

 

*  *  *

 

Comemoração:

Festa de Sant’ana - Padroeira de Itaúna 

De 17 a 26 de Julho, aconteceu um dos mais tradicionais eventos populares de Itaúna a Festa de Sant’ Ana, padroeira da cidade.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

04/08/2018

 

Comunidade itaunense comemorou mais uma festa da sua padroeira.

 

Realizada  pela Paróquia Sant’ Ana, com o apoio da Prefeitura Municipal de Itaúna e Polícia Militar, a festa contou com a participação de milhares de pessoas, por devoção e fé, ou pelo entretenimento, uma vez que o evento, além das manifestações religiosas, como missas, novenas e procissões; também ofereceu uma variedade de atrações como barraquinhas com comida típicas, quadrilha e apresentações de bandas, como Joe Rock Band, Jhonny e Alan, Metamorfose Urbana, Firmino e Ronaldo, Fabrício e  Fabiano, Luciano Vô, Banda Hakuna e o Ministério EAC, EJC e Nova Vida.

 

Apresentações de Bandas e Corais.

 

Presença das tradicionais barraquinhas.

 

Equipe de colaboradores.

 

Presença do Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Curitiba,

Dom Francisco Cota de Oliveira.

 

Participação de Projetos Culturais.

 

Marco Prado com Rogerio Alexandro (Gel),

nos trabalhos de decoração da Praça.

 

A linda decoração da praça ficou a cargo da gestora cultural Bel de Abreu e equipe.

 

Um Pouco de História

 

O historiador Dr. Guaracy Nogueira encontrou no livro de Provisões da Câmara Episcopal de Mariana (6/1840 a 11/1841, FL, 118v) a citada Lei Provincial, que desmembrou a Paróquia de Sant’Ana da de Pitangui de autoria do Presidente de Província, Marechal Sebastião Barreto Pereira Pinto, que governou Minas gerais de 22 de agosto de 1840 a 7 de junho de 1841 e por Portaria de 15 do mesmo mês e ano, incluiu o curato de Cajuru, conservando os limites anteriores.

 

Após a morte de Dom Frei José da Santíssima Trindade o Bispado de Mariana ficou sem pastor durante 15 anos, 6 meses e 3 dias. Foi neste intervalo pelo cônego prendado na Catedral e vigário capitular Miguel de Noronha Peres, Provisor do Bispado Sede- Vacante. A mesma autoridade  nomeou, aos 16 de novembro de 1841, o primeiro vigário padre Antônio Domingues Maria, na qualidade de encomendado. Tornou- se, a pedido de Dom Pedro II, por Carta Imperial, em 9 de dezembro de 1842, vigário colado com todas as regalias e vantagens: direito a vencimento do governo, vitaliciedade, irremovibilidade e irredutibilidade do salário (côngrua). O segundo vigário, apresentado por Carta Imperial, de 10 de maio de 1855, colado a 13 de agosto, foi o  Padre  Batista de Miranda, que nos deixou, feito de próprio punho, belíssima caligrafia, por força da Lei n° 601, de 18 de novembro  de 1850 e do Decreto  n° 1318, de 1854, o Registro de terras  da Paróquia de Nossa Senhora  de Sant’ Ana do Rio São João Acima, importante  documento que  pode ser consultado no arquivo no Instituto Maria de Castro Nogueira. Após estes dois primeiros vigários, ambos colados, houve um período vacante em que se tornou vigário encomendado.

 

“Pro tempore” o Padre João da Cruz Nogueira Penido, com muitos parentes na Paróquia, mas não logrou ser vigário de Sant’ Ana, sim de São Gonçalo do Sapucaí. Oficialmente não foi vigário de nossa paróquia, que gozava do privilégio de ter vigários colados. Em São Gonçalo adquiriu grande prestígio, sendo eleito deputado geral

 

(federal) no Império, sob o Poder Moderador de Dom Pedro II. O Terceiro vigário, Padre Antônio Maximiano de Campos, apresentado por Carta Imperial de 17 de janeiro de 1866, foi colado, no mesmo ano, a 28 de agosto. Depois, por força da Proclamação da República e fim do regime do padroado, os vigários deixaram de ser

 

colado, não mais recebiam vencimentos do governo, ficando submetido à autoridade eclesiástica, o que foi uma benção para a igreja. O padre Maximiano tornou- se político influente, muito trabalhou para a emancipação do município, elegendo- se como primeiro vice-presidente da Câmara (vice-prefeito).

 

A partir da emancipação que ocorreu em 16 de setembro de 1901, tivemos 17 párocos. A primeira Matriz de nossa Paróquia foi a Capela iniciada em 1.750 e terminada em 1.765, no período colonial e no império até 1853, quando a Matriz de Sant’Ana tornou-se Capela de Nossa Senhora do Rosário. (Por Ana Lúcia Corradi).

 

 “Muita Arte na Praça” é parte das festividades da Festa da Padroeira.”  

 

- Fotos: Pascom, Wendel Teixeira e arquivo pessoal de Marco Antônio Prado.

 

*  *  *

 

Religiosidade:

O Convento  das Carmelitas em Itaúna

O Convento da Ordem do Carmelo do Divino Coração de Jesus teve sua fundação em Itaúna no ano de 2002, fazendo parte da Diocese de Divinópolis MG.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

14/07/2018

 

Irmãs Carmelitas - Itaúna/MG.

 

Com início nesta sexta-feira, dia 13 de julho, a festa em comemoração à Nossa Senhora do Carmo, consagrado oficialmente no dia 16 de julho, contou com a participação de voluntários do bairro Parque Jardim Santanense, Bairro São Bento, comunidades rurais e diversos fiéis da cidade nos trabalhos de preparação e realização do evento.

 

Preparativos da decoração da área externa.

 

Além dos festejos tradicionais como missas, terços e novenas; aconteceram  manifestações populares com barraquinhas de comidas típicas, feira de artigos religiosos e decorativos, produzidos pelas próprias religiosas da congregação.

 

Este colunista com Irmã Ancila e voluntários.

 

No Brasil, o Carmelo do Divino Coração de Jesus foi fundado no dia 07 de dezembro de 1985, por irmãs carmelitas vindas da Croácia.

 

Vitral da Capela do Convento, representando a Madre Maria Teresa de São José.

 

Além da missão com crianças, faz parte dos objetivos da ordem, assistência a doentes, visitas de orientação  às famílias, acompanhamento das pastorais nas paróquias, retiros e formação para jovens.

 

Parte do teto decorada.

 

Segundo a Filosofia da Ordem, "buscam uma experiência mística através da oração, silêncio e solidão, expressar este encontro com o Senhor por meio de obras sociais e na partilha dos dons, para o bem da igreja".

 

Este colunista, Irmã Faustina e voluntários.

 

Histórico

 

A Ordem do Carmo (ou Ordem das Carmelitas), originalmente chamada Ordem dos Irmãos da Bem Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, é uma ordem religiosa católica surgida no final do século XI, na região de Monte Carmelo (uma cadeia de colina, próxima  a atual cidade de Haifa, antiga Porfíria, no atual Estado de Israel), lugar de origem do mosteiro de Nossa Senhora do Monte Carmelo; onde segundo a tradição, o profeta Elias se estabeleceu em uma gruta e seguiu uma vida eremítica de silêncio e oração. Em seu modo de vida se inspiraram os primeiros religiosos da Ordem.

 

Irmã Faustina, musicista, e coordenadora dos eventos festivos.

 

No século XIII os religiosos acabaram por migrar para os países da Europa, fugindo das invasões sarracenas.

 

Santa Teresa D'Avila. Freira Carmelita do século XVI, co-fundadora da Ordem das Carmelitas Descalças, juntamente com São João da Cruz. Autora dos livros O Caminho da Perfeição, O Castelo Interior, Meditações Sobre o Cântico dos Cânticos, dentre outros. Seus poemas estão reunidos na obra Todas as Poesias. Proclamada Doutora da Igreja em 27 de Setembro de 1985.

 

- Fotos: Arquivo pessoal de Marco Antônio Prado.

 

*  *  *

 

Um pouca da história:

A Ginástica Rítmica em Itaúna

A ginástica rítmica aponta seu princípio no Egito há 3.500 anos. Desenhos com a representação da prática, são marcados em cerâmicas e nas antigas construções egípcias.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

20/06/2018

 

Aula de Ginástica Rítmica Masculina. Nos moldes da Ginástica Rítmica Japonesa. Escola Estadual João Dornas Filho. Ano de 2004.

 

Segundo relatos, o que mais tarde se denominou Ginástica Rítmica Desportiva, já era praticada em Itaúna desde a década de 30, na antiga Escola Normal (atual Colégio Estadual). Através de movimentos calistênicos complementados por bailados suaves, buscando graça, beleza e postura. Com a surgimento da Faculdade de Educação Física, da Universidade de Itaúna, em 1998, a Ginástica Rítmica Desportiva aparece como disciplina da grade curricular da instituição, sendo difundida nas aulas de Educação Física, por alguns professores que ali estudaram.

 

Apresentação de Ginástica Rítmica - Escola Estadual Dr. José Gonçalves, 2006.

 

A ginástica rítmica é uma ramificação da ginástica que possui infinitas possibilidades de movimentos corporais combinados aos elementos de dança, realizados fluentemente em harmonia com a música e coordenados com o manejo dos aparelhos próprios da modalidade, que são a corda, o arco, a bola, as maças e a fita.

 

 Escola Estadual João Dornas Filho, 2004.

 

A ginástica rítmica desenvolve harmonia, graça e beleza em movimentos criativos traduzidos em expressões pessoais através da música, dança e técnica especifica; transmitindo, acima de tudo, graciosidade e beleza.

 

Equipe de Ginástica Ritmica do Prof. Marco Antonio Prado. Escola Municipal Sidney José de Oliveira. Divinópolis-MG, 2011.

 

Breve resumo da história da Ginástica Rítmica

 

A ginástica rítmica aponta seu princípio no Egito há 3.500 anos. Desenhos com a representação da prática, são marcados em cerâmicas e nas antigas construções egípcias.

 

Na Grécia Antiga, a modalidade também aparece representada em vasos e paredes do que foram ginásios olímpicos.

 

Apresentação e alunos da Faculdade de Educação Física, Universidade de Itaúna, Equipe Mista. Modalidade Maças, 18/06/2018.

 

No final do século XIX e princípio do século XX, algumas personalidades influenciaram na criação do esporte. Nomes como Jean Georges Noverre, bailarino; François A. Delsarte, precursor do teatro moderno e a bailarina Isadora Duncan tiveram um papel fundamental para o desenvolvimento da ginástica rítmica.

 

A modalidade teve uma grande aceitação e se popularizou em países como a extinta União Soviética, Alemanha e Romênia.

 

Em 1963, na cidade de Budapeste, houve o primeiro campeonato mundial, com a participação de 10 nações, no qual a soviética Ludmila Savinkova sagrou-se como a primeira campeã.

 

Em 1975, através da decisão tomada em Assembleia Técnica do 53º Congresso da FIG, passou a ser chamada oficialmente de ginástica rítmica desportiva. Em 1980, foi reconhecida pelo Comitê Olímpico Internacional, integrando o então Jogos de Moscou, como modalidade de apresentação.

 

Em 1984, em Los Angeles, foi inserida como modalidade competitiva individual, e nos Jogos de Atlanta, em 1996, passou a ser disputada em provas de grupos (equipes).

 

Escola João Dornas Filho. Ano 2004.

 

A Ginástica Rítmica masculina

 

A Ginástico Rítmica masculina começou a ser praticada no Japão após a segunda guerra mundial.

 

Apresentação dos alunos de Educação Física, Universidade de Itaúna, 18/06/2018.

 

A versão masculina reúne elementos da calistenia, ou seja, ginástica com música e movimentos ritmados, com as Artes Marciais. Utilizam cordas, arcos menores, bastões e maças. Apresentam-se em grupos de seis atletas ou individuais.

 

Apresentação dos alunos de Educação Física, Universidade de Itaúna, 18/06/2018.

 

Em 1969, a GR masculina foi regulamentada pela confederação Japonesa de Ginástica e em 2003 aconteceu o primeiro campeonato internacional, com a participação de países como Malásia, Japão, Coréia do Sul, Austrália, Estados Unidos e Canadá.

 

Mesa de jurados, avaliação dos trabalhos dos alunos da Faculdade de Educação Física. Educadores Físicos: Marco Antonio Prado, Flaviana, Isabela Bernardes e Bruna Vaz. Com a professora de Ginástica Ritmica Heloisa Machado Corradi. 18/06/2018.

 

- Fotos: Arquivo pessoal de Marco Antônio Prado.

 

*  *  *

 

Festa religiosa:

Solenidade de Corpus Christi em Itaúna

No Brasil esta festa foi introduzida pelos portugueses com procissões esplendorosas em tropas, fidalgos, cavaleiros, andores, danças e cantos.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

15/06/2018

 

Resultado final do tapete de Corpus Christi de Marco Antônio Prado.

 

Realizada em Itaúna-MG, mais uma edição do Tapete de Corpus Christi, considerado pela  coordenadora, a gestora cultural Bel de Abreu, como um tapete de superação. Isso devido à dificuldade de recolher e distribuir a enorme quantidade de materiais doados por empresas, para os trabalhos na construção do tapete.

 

Marco Antônio Prado confeccionando um tapete.

 

Foram toneladas de material reciclável, que em função da crise de abastecimento, ocasionada pela paralisação dos caminhoneiros nos dias de preparação do evento, ficaram estocadas, sem a possibilidade de transporte. No entanto, o resultado foi bastante satisfatório, segundo a coordenadora, que contou com o apoio e solidariedade de diversos voluntários.

 

Jesus é retratado em um dos tapetes.

 

Um pouco da história dos tapetes de Corpus Christi

 

O Concilio de Trento declarou que "muito piedosa e religiosamente, foi introduzido na Igreja Católica o costume, que todos os anos,  em determinado dia festivo, seja celebrado este excelso e venerável sacramento com singular veneração e solenidade;  e reverente e honorificamente seja levado em procissão  pelas ruas e lugares públicos". E desta forma é  costume dos cristãos expressarem sua gratidão e honrarem o "Deus vivo, o Cristo Sacramentado".

 

Tapete com destaque ao Espírito Santo.

 

No Brasil esta festa foi introduzida pelos portugueses com procissões esplendorosas em tropas, fidalgos, cavaleiros, andores, danças e cantos. Esta versão brasileira tinha do troar dos canhões até gente importante na vida política da nação, disputando a honra de tocar com as mãos o "Pálio", aquela proteção de tecidos finos bordados à mão com os fios de ouro, que protege o sacerdote que leva a "Hóstia Santa". Uma festa barroca.

 

Sequência de tapetes com a Prefeitura e a igreja matriz ao fundo.

 

Em Minas, a tradição dos tapetes começa em Vila Rica, no ano de 1.733, quando da inauguração da Matriz do Pilar e era conhecida como "Festa do Triunfo Eucarístico".

 

Obra de arte representando a hóstia sagrada.

 

Colaboradores trabalham na confecção de tapetes.

 

Em Itaúna, nossa celebração começa ao alvorecer, quando a comunidade itaunense se reúne em torno da Praça Matriz para confeccionar um "tapete" tradicional para ornar a passagem do "Cristo Vivo na Hóstia Consagrada".

 

Pessoas de várias faixas etárias se envolveram no projeto.

 

Dezenas de colaborares trabalharam na confecção dos tapetes.

 

A confecção dos tapetes contou com a participação de famílias da comunidade.

 

Participação do Coral EAC, com a apresentação de músicas sacras.

 

Dr. Ivan Perilo, personalidade marcante nos trabalhos

de Corpus Christi. Com sua equipe de colaboradores.

 

Bel de Abreu, coordenadora dos trabalhos. Com Douglas Abreu e Ricart Corradi.

 

O evento contou também com barraquinhas montadas na Praça da Matriz.

 

- Todas as fotos: Marco Antônio Prado.

 

*  *  *

 

Carnaval 2019 em Itaúna:

Lançamento do Bloco dos Zuluzinhos

Bloco tem suporte da velha guarda da tradicional Escola de Samba Clube dos Zulus.

 

Por Marco Prado

De Itaúna-MG

28/05/2018

 

A madrinha da bateria Valéria e este colunista, estilista Marco Antônio Prado.

 

Foi realizada no sábado, 12/05, no Espaço Sítio Medeirinhos, a festa de lançamento do Bloco dos Zuluzinhos para o Carnaval 2019 em Itaúna.

 

Ao contrário dos blocos tradicionais que atualmente desfilam no Carnaval de Itaúna; com trios elétricos e abadás, o Bloco dos Zuluzinhos, irá para avenida apresentando um desfile tradicional.

 

O bloco vai para a avenida nos moldes dos blocos caricatos dos antigos carnavais da cidade. O bloco dos Zuluzinhos contará com Comissão de Frente; Mestre Sala e Porta Bandeira; Bateria e a eleita Madrinha Valeria Alves; Alas; Enredo e um Samba-enredo, criado exclusivamente pelos compositores da tradicional Escola de Samba Clube dos Zulus.

 

Contando com a direção e apoio da velha guarda do Clube dos Zulus, o Bloco Zuluzinhos promete resgatar os antigos carnavais de Itaúna, que foi destaque no cenário cultural, como o melhor carnaval do interior de Minas Gerais.

 

A festa de lançamento do Bloco dos Zuluzinhos contou com a presença maciça dos principais carnavalescos e sambistas da região. Aconteceram apresentações ininterruptas com grupos de pagode, músicos e sambistas, percursionistas e grandes cantores das rodas de samba e do show business atual.

 

Houve uma grande adesão dos foliões e de personalidades ligadas à arte e à cultura. Durante o evento foram homenageados personalidades que fazem parte da história do Carnaval Itaúna.

 

A seguir reproduzimos alguns flashes desse evento comemorativo ao Carnaval 2019 em Itaúna.

 

As cantoras Deyse Carvalho (Allfaces) e Tia Elisa (Sambista - Divinópolis).

 

 

Valdo do Cavaco e sua esposa, a cantora Raquel Silva.

 

 

Adílio Aparecido, músico, cantor e percussionista.

 

 

Flavinho, mestre de bateria e grande puxador de samba. Com Fininho, Giovanni, Jeferson e Henrique.

 

 

Mestre Sala nota 10, Gil, com a Madrinha da Bateria Valéria.

 

 

Espaço Sítio Medeirinhos. Casa lotada para o lançamento do Bloco dos Zuluzinhos, para o Carnaval 2019.

 

 

Merecida homenagem a Dona Edmeia Pércope, personalidade importante na história dos Zulus. Com as filhas, Rosa e Ana Maria

 

- Imagens: Arquivo pessoal de Marco Antônio Prado.

 

*  *  *

 

ASSOCIAÇÃO CULTURAL USINA DE SONHOS

Oficina de Artesanato (Módulo Pintura em Tecido),

ministrada pelo professor Marco Antônio Prado.

 

A Associação Cultural Usina de Sonhos está há 20 anos incentivando e divulgando a Cultura, através da produção de Arte e Artesanato em Itaúna-MG e região. O projeto idealizado e coordenado pela gestora Bel de Abreu promove oficinas de arte sem custos e abertas à toda comunidade.

 

Nas fotos abaixo são mostradas alunas da Oficina de Artesanato (Módulo Pintura em Tecido), ministrada pelo professor Marco Antônio Prado. Estes trabalhos foram realizados na quarta-feira, 09/05/2018, em homenagem ao dia das mães.

 

 

 

 

 

 

 

* Imagens: Usina de Sonhos/Divulgação.

   Itaúna-MG, 10/05/2018

 

Conheça a Associação Cultural

Projeto Usina de Sonhos

 

A Associação Cultural Projeto Usina de Sonhos foi fundada em agosto de 1998 com a finalidade de levar de forma gratuita oficinas de artes para crianças e adolescentes de escolas públicas ou em situação de risco. Nestes vinte anos de funcionamento já foram atendidos uma média de 4500 alunos nas suas oficinas efetivas e outras centenas de jovens, nos eventos realizados de dança, teatro e música, nos eventos da Biblioteca Comunitária e nas inúmeras participações da entidade na vida cultural da cidade e região.

 

A entidade Cultural atende crianças a partir dos 5 anos, atua na área das artes cênicas, artes visuais, artesanato, canto e aprendizado de instrumentos, educação ambiental e paisagismo, inglês. Todos os seus professores são habilitados nas suas áreas, o que proporciona a sua clientela um aprendizado eficaz e de qualidade.

 

Nestes anos de funcionamento muitas lutas e várias conquistas. Em 2004, a entidade foi declarada Utilidade Pública Municipal, através do Projeto de Lei 080/2004. Em 2006, membro efetivo do Conselho Municipal de Assistência Social e Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. Em 2008, declarada Ponto de Cultura do Programa Mais Cultura e Cultura Viva do Ministério da Cultura. Em 1º de julho de 2009, declarada Utilidade Pública Estadual, através da Lei 18.231.

 

Além das oficinas efetivas durante todo o ano, a Associação Cultural Projeto Usina de Sonhos desenvolve também outras ações culturais e participa dos eventos da cidade e região. Destacamso aqui: Usina de Ideias, Usinando com Arte da Férias, Muita Arte da Praça, Palco Livre Espetáculo Teatral, Circuito Andanças – Festival de Dança, Usina de Artes – Mostra Musicla. Manutenção e Atividades Culturais na Biblioteca, participação em eventos nas escolas e instituições.

 

Para a sua manutenção, a entidade trabalha de forma prioritária com as Leis de Incentivo à Cultura Estadual e Federal, que implicam na renúncia fiscal do ICMS e do Imposto de Renda, co ma captação junto a empresas parceiras compromissadas com a arte e a cultura na cidade. Tem o apoio do Fundo Estadual de Cultura e conta também com doações da comunidade através de carnês mensais ou depósitos na Agência 0124 – Operação 003 – Conta Corrente 797-7.

 

O Projeto Usina de Sonhos há 20 anos vem transformando e aproximando as pessoas pela arte. Oportuniza crianças e adolescentes ao aprendizado e valoriza o artista. Uma entidade que democratiza o aprendizado das artes e contribui de forma significativa para o crescimento da cultura local e regional.

 

 

Ir para a página principal

 

AEROVIA ARQUEOLOVIA ASTROVIA DORNAS DIGITAL ITAÚNA FANZINE J.A. FONSECA UFOVIA VIA FANZINE

          

© Copyright, Pepe Arte Viva Ltda.

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter