A sua plataforma de embarque para a Astronáutica, Astrofísica e Astronomia  - Com a qualidade jornalística  Via Fanzine

 

 Satélites

 

 

Estados Unidos:

Civil encontra satélite militar da NASA

Conheça o astrônomo amador que encontrou o satélite perdido da NASA no espaço*.

 

Scott Tilley, retratado perto de sua casa no Canadá,

encontrou um satélite da NASA perdido há mais de uma década.

Leia também:

Morre o construtor do primeiro satélite brasileiro

TCU vai investigar projeto do satélite brasileiro

Revista da NASA publica artigo sobre satélite SABIA-Mar

 Ubatuba: da sala de aula para o espaço

  Inpe auxilia alunos municipais a lançar satélite

  AAB promove concurso para mini-satélites

Acesse os últimos destaques de ASTROvia

Outros destaques em Via Fanzine

 

O astrônomo amador Scott Tilley estava no escritório dele em uma noite recente, usando seu equipamento de rádio para escanear o espaço em busca de uma agulha no palheiro: um satélite espião operado pela Força Aérea dos EUA.

 

Tilley, de 47 anos, se lança em missões como esta todas as noites. Desde que ele tinha mais ou menos oito anos de idade, tem sido um explorador espacial dedicado procurando por satélites ocultos no céu por horas a fio.

 

Quando ele escaneou os céus naquela noite faz algumas semanas, ele não encontrou o que estava procurando, mas encontrou algo possivelmente ainda melhor: um satélite diferente, uma nave perdida pela NASA por mais de uma década. Antes de desistir, a NASA procurou pela nave espacial (de valor aproximado a US$ 150 milhões) durante dois anos.

 

O satélite IMAGE antes de seu lançamento em 2000.

 

Para um astrônomo amador, um sonho

 

"De longe, foi a coisa mais importante que descobri. É uma coisa muito legal no meu mundo", disse Tilley. Ele vive na Colúmbia Britânica, localizou sozinho a nave espacial IMAGE, que a NASA lançou em 2000 e perdeu contato cinco anos depois.

 

No jantar, ele contou a sua esposa sobre sua descoberta e ela sugeriu que ele contasse à NASA. Assim, Tilley postou no Twitter o que ele havia encontrado. Em seguida ele recebeu alguns e-mails de cientistas que trabalharam no projeto.

 

"Quando acordei, minha caixa de entrada foi preenchida com e-mails de pessoas que trabalharam nesse projeto no início dos anos de 2000", disse Tilley.

 

A NASA confirmou sua descoberta através de dados de identificação coletados por cientistas no Johns Hopkins Applied Physics Laboratory, em Maryland. Agora, a agência está tentando compreender mais sobre a condição do IMAGEM e ver se ele ainda poderá coletar os dados inicialmente previstos.

  

"Estamos todos muito, muito entusiasmados, podemos recuperar o satélite", disse Patricia Reiff, co-pesquisadora do satélite IMAGE e professora de física e astronomia na Rice University. Ela trabalhou no projeto desde a sua criação em 1989.

 

Patricia Reiff disse que a NASA parou de procurar pelo IMAGEM em 2007, por causa dos custos, mas não esperava que fosse encontrado novamente. O problema agora é o fato de a tecnologia do IMAGE ser tão antiga e por isso, a NASA deverá ser criativa para encontrar maneiras de se comunicar com o software do equipamento.

 

A missão da IMAGE foi criada pela NASA para coletar dados meteorológicos espaciais que podem afetar equipamentos tecnológicos, como dispositivos GPS e ondas de rádio. O satélite estava fazendo o seu trabalho de forma eficiente até 2005, quando se apagou. Os cientistas acreditam que houve uma falha na bateria, que o fez desligar. Porém, o equipamento pode ter se recarregado usando energia solar depois de estar inativo há mais de uma década, quando enviava um sinal de endereço ao espaço, esperando que alguém o encontrasse.

 

Telescópio e antena utilizados por Scott Tilley para encontrar o satélite IMAGE.

 

Tilley e o espaço

 

"Eles desistiram de procurá-lo, e eu assumi isso", disse Tilley. Ele diz que seu interesse pelo espaço vem de um especial "60 minutos" que ele assistiu quando era criança. Seu pai era um operador de rádio amador, então ele conseguiu usar o equipamento de seu pai encontrado em torno da casa para mexer e explorar.

 

Ele disse que seu amor pelo espaço não é alimentado somente pelo objetivo de descobrir satélites ou outros objetos artificiais. Ele ama a exploração e a viagem espacial.

 

Para ele, é gratificante encontrar algo importante que uma vez escapou de cientistas brilhantes. "Você sente que contribuiu com algo de valor para a ciência", disse Scott Tilley.

 

* Informações de Allison Klein/The Washington Post, com tradução e adaptação de Pepe Chaves para Via Fanzine.

 

- Fotos: Cortesia de Scott Tilley / NASA-divulgação.

   

Leia também:

Morre o construtor do primeiro satélite brasileiro

TCU vai investigar projeto do satélite brasileiro

Revista da NASA publica artigo sobre satélite SABIA-Mar

Ubatuba: da sala de aula para o espaço

Inpe auxilia alunos municipais a lançar satélite

AAB promove concurso para mini-satélites

Acesse os últimos destaques de ASTROvia

Outros destaques em Via Fanzine

 

 

Leia outras matérias na

www.viafanzine.jor.br/astrovia.htm ©Copyright, Pepe Arte Viva Ltda. Brasil.

 

 

 

DORNAS DIGITAL

 

 

Motigo Webstats - Free web site statistics Personal homepage website counter